!! TopLegal !!

:•:* Perfil *:•:

My Name: - Cah

My Nick: - Putz... eu tenho muito apelido... Kaká, Blake, Pãozinho [ do Bru], Preta [ Vini ♥ ], Catavendo [ X. :3] e muitos outros. x)

Idade: Que pergunta mais indiscreta... tá... eu vou fazer 20. :3

Hobby: Ler, ler muito... ouvir música. Rock de preferência... Outra coisa que eu gosto de fazer é desenhar mangás. .

Estado civil:Ahh... num sei.... tô gostando de um cara ae... mas isso num é da sua conta...xD[sendo que quase todo mundo já sabe quem é...xx']

Um pouco sobre mim: Eu sou um mistério... O_O'

Qualidades: Sei que sou uma boa amiga. :3

Defeitos: Ser sem-noção. x)

// Blogs Amigos

- Blog do Bruno

// Site Favoritos

- UOL - O melhor conteúdo
- BOL - E-mail grátis

// Arquivos

Histórico:

- 21/09/2008 a 27/09/2008
- 24/08/2008 a 30/08/2008
- 17/08/2008 a 23/08/2008
- 30/12/2007 a 05/01/2008
- 18/11/2007 a 24/11/2007
- 11/11/2007 a 17/11/2007
- 04/11/2007 a 10/11/2007
- 28/10/2007 a 03/11/2007

// Vote!

Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


// Layout by




Ed ero contentissimo...

"...Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
Te amo assim diretamente sem problemas nem orgulho:
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira,
Senão assim deste modo que não sou nem és,
Tão perto que tua mão sobre o meu peito é minha,
Tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho..."

Esqueci o nome do poema. O_O
Mas é Neruda. xD



[...]

Saberás que não te amo e que te amo
posto que de dois modos é a vida,
a palavra é uma asa do silêncio,
o fogo tem uma metade de frio.

Eu te amo para começar a amar-te,
para recomeçar o infinito
e para não deixar de amar-te nunca:
por isso não te amo ainda.

Te amo e não te amo como se tivesse
em minhas mãos as chaves da fortuna
e um incerto destino desafortunado.

Meu amor tem duas vidas para amar-te.
Por isso te amo quando não te amo
e por isso te amo quando te amo.

"Cem sonetos de Amor"


Saudade das madrugas que eu passava lendo meus livros do Pablo Neruda e Marques. -__-'
Nem isso mais eu posso.

Um beijo.


- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 11h01
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




I don't love you...like I did... yesterday. : |

"Se os olhares se cruzarem e neste momento,
houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta:
pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa ...

Se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça:
Deus te mandou um presente divino - o amor.

Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca
receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem
mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um para o outro ...

Se você conseguir, em pensamento,
sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado ...

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a
outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura,
que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida ...

Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo estando ela de pijamas velhos,
chinelos de dedo e cabelos emaranhados ...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo,
ansioso pelo encontro que está marcado para a noite ...

Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma,
um futuro sem a pessoa ao seu lado ...
É o amor que chegou na sua vida. É uma dádiva.

Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e,
mesmo assim tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela ...

Se você preferir morrer, antes de ver a outra partindo ...
É o amor que chegou na sua vida !

Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia
o deixem cego para a melhor coisa da vida:
muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida,
mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.
Ou, às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses sinais,
deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.

Preste atenção nos sinais e não deixe que as loucuras do dia-a-dia
o deixem cego para a melhor coisa da vida:
O amor ..."

Amar - Verbo Intransitivo

Carlos Drummond de Andrade.

----------------------------------



Posso desabafar hoje?
Só pra variar...
O mundo é composto de 99% de gente consciente de que o mundo não é do jeito que ela deseja.
E apenas 0,01% é composto pela parte burra... que cisma em teimar que a gente deve adorá-lo. Mesmo você tendo jogado na cara dura dela que você não gosta dele.

É... eu já estou ficando sem graça.
Hoje eu vou ligar e dar uma fumada no rabo da minha tia. Vê se adicionar o ex é coisa que se faça?

Mas mudando de assunto... eu sempre fui apaixonada pelo o Marco.
Foda-se se ele num curte que eu fale o nome dele aqui no meu blog ou em qualquer log da vida.
Masé assim.
Ele veio e ficou.
Mesmo tendo sido por net.

Entrei no fotolog de uma amiga e vi que ela comentou sobre ele ter respondido um email dela e o que eu mandei não.
Tipo: devo ficar brava?
Nem liguei....no primeiro momento.
Mas logo já dei o meu ataque de pelanca e exclui todo mundo que me faz lembrar o Marco do meu msn e fotolog.
Eu tenho que perder esse habito... mas é só assim pra mim poder me acalmar. --'

Agora eu to melhor depois de terminar o namoro, mas o guri ainda me persegue...
Eu não to mais aguentando.
Acabei de mandar o pior depoimento da minha vida.
Um chute no saco pra ser mais clara.

To ficando farta.

Já disse pra Lua que estou pensando seriamente em largar a faculdade. É idiotice... mas se for para o meu bem... eu topo até pular da ponte.
Crio blogs e fotologs da vida para meus desabafos do dia-a-dia, mas quem diz que realmente eu faço isso?
Esse aqui é o meu favorito porque foi com ele que eu aprendi a mexer em HTML.

Puta merda... to piorando.
Crise de rim.

Amanhã eu venho e reclamo mais. xD
Beeijo pros meus amigos do Motim Nerd.
Feliz aniversário, Vih. ^^
Luh...tu vai pra forca. ><'

Beeijo da gorda. :*


- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 15h32
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




One Last Chance. : )

OS OMBROS SUPORTAM O MUNDO

Os ombros suportam o mundo
Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.

Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.

Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.

Carlos Drummond de Andrade.
Só Drummond pra me animar. (Y)

xD



Nussa...faz séculos que eu não postava aqui.

Também...depois que eu entrei pra faculdade, não ando tendo muito tempo.
Muitas coisas acontecem...
Morte, novidades, tristezas...
Mas nada mudará a minha pessoa.
Sei que sou errada ao tomar algumas atitudes, mas eu só faço o que eu sinto ser melhor para mim e para quem está ao meu redor.

Hoje eu estou bem. Mesmo com a noticia da morte de uma tia e o término de um namoro que eu mesma causei, estou bem.
Passarei a postar mais aqui. Sempre esqueço que criei esse blog para postar o que sinto durante o dia.

Tenho muito a agradecer ao povo do chat Motim Nerd. Sem eles eu nunca teria me recuperado de tanta bomba caindo na minha vida.

Post de reinauguração do meu brog. ;DD

Comenta, porra!

Beeijo da gorda. :*

- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 12h01
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________






The Used!

- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 13h03
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




Love me... That's all I ask of you. : ]



"A um ausente
Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enloqueceu, enloquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste..."

Drummond. : ]

-----------------------------------------------------------

Quero

Quero que todos os dias do ano
todos os dias da vida
de meia em meia hora
de 5 em 5 minutos
me digas: Eu te amo.

Ouvindo-te dizer: Eu te amo,
creio, no momento, que sou amado.
No momento anterior
e no seguinte,
como sabê-lo?

Quero que me repitas até a exaustão
que me amas que me amas que me amas.
Do contrário evapora-se a amação
pois ao não dizer: Eu te amo,
desmentes
apagas
teu amor por mim.

Exijo de ti o perene comunicado.
Não exijo senão isto,
isto sempre, isto cada vez mais.
Quero ser amado por e em tua palavra
nem sei de outra maneira a não ser esta
de reconhecer o dom amoroso,
a perfeita maneira de saber-se amado:
amor na raiz da palavra
e na sua emissão,
amor
saltando da língua nacional,
amor
feito som
vibração espacial.

No momento em que não me dizes:
Eu te amo,
inexoravelmente sei
que deixaste de amar-me,
que nunca me amastes antes.

Se não me disseres urgente repetido
Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranhar,
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor.
(CDA)

Drummond de novo. xD

Eu to feliz...meu dia foi bom...

Beeijo da gorda. :*

P.S.: Quero saber que diabos Luiz vai fazer com as minhas fotos? ._.

- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 23h25
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




* monga *

Eu sou tão burra que esqueci de entitular meu post... acho que seria... O Lamento de uma Pós-Adolescente Suicida. *_*

HAUSHAUSHAUSH

"Memória
Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão..."




Para Alanie...

Mesmo que tivéssemos passado um tempo longe da outra, saiba que tudo continua a mesma coisa... ;D

Te ♥~

Beeijo da Gorda. :D

- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 23h39
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________






*~AMAR~*

"Que pode uma criatura senão,
entre criaturas amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
Que pode, pergunto, o ser amoroso
sozinho em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar tráz a praia
o que ele sepulta, e o que na brisa marinha
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?
Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero
um vaso sem flor, um chão sem ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.
Este é o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada e uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.
amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita. "


Ahh... Drummond...só você para me apoiar nesse momento de profunda tristeza.
Como eu estou? Não interessa.... mu bem estar é saber que você está bem...
São exatamente 23:25 e acabo de ouvir a Alanie cantar pra mim via MSN... Sim...eu ainda possuo amigos...
Não preciso me esconder atrás de disfarces e nem exibir meu namorado virtual pra puta que pariu e meia.
Sim.. eu amei..quebrei a cara... me ferrei... mas ainda sou a Cah...
Aquela boboca que ri das mongolices da Ana...
A que chora com a Litta ao ver as atrocidades da vida...
A menina que sempre gostou de comer chocolate até dar dor de barriga...
Aquela que nem sabia o que era amar até conhecer aquele filho da puta que estragou com a vida dela.
Aquela que deu uma chance para um forasteiro entrar em sua vida...
É...
Eu sou bem complexa...

"Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste..."

Bom...acho que é só... tenho um encontro no sábado, 3 cds para enviar de presente de natal...

Beeijo da gorda. :*

- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 23h31
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




Por que será que ela é tão feliz? Isso se chama ser di-lua. ;D~ ♥ Cah & Mah.

"Reverência do Destino"

"Falar é completamente fácil,
quando se tem palavras em mente
que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que
realmente queremos dizer,
o quanto queremos dizer,
antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas
que estão sendo expostas
pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir
sobre os seus erros,
ou tentar fazer diferente
algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega,
fazer companhia a alguém,
dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas
e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia
e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação
e saber o que fazer.
Ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência
quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém
que realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos
o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos
com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar,
mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus".
Principalmente quando somos culpados
pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos,
beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo
como uma corrente elétrica
quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver,
sem ter medo do depois.
Amar e se entregar.
E aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência.
Acenando o tempo todo,
mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é segui-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas,
ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta.
Ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar
ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma.
Sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas
vão te aceitar como você é
e te fazer feliz por inteiro .

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém.
Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo,
mas com tamanha intensidade,
que se petrifica,
e nenhuma força jamais o resgata".

(by: Carlos Drummond de Andrade)



Post para meus novos amigos. ;D

- Michael.
- Olliver.
- Marcelo [meu lindo. ♥]
- Patty
- Gabbys
- Lua

Amo-os mais que tudo.

Beeijo da gorda. :*

- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 22h57
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




Num dia de chuva... : ]

*~Recomeçar~*

Não importa onde você parou...em que momento da vida você cansou... o que importa é que sempre é possível e necessário "Recomeçar".
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...é renovar as esperanças na vida e o mais importante...acreditar em você de novo.

Sofreu muito nesse período?foi aprendizado...
Chorou muito?foi limpeza da alma...

Ficou com raiva das pessoas?foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por diversas vezes?é porque fechaste a porta até para os anjos...

Acreditou que tudo estava perdido?era o início da tua melhora...
Pois é... agora é hora de reiniciar... de pensar na luz...de encontrar prazer nas coisas simples de novo.

Tá se sentindo sozinho?besteira...tem tanta gente que você afastou com oseu "período de isolamento"...tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu para "chegar" perto de você.

Que tal Um corte de cabelo arrojado...diferente?Um novo curso...ou aquele velho desejo de aprender a pintar...desenhar...dominar o computador...ou qualquer outra coisa...

Olha quanto desafio... quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando.

Quando nos trancamos na tristeza...nem nós mesmos nos suportamos...ficamos horríveis...o mal humor vai comendo nosso fígado...até a boca fica amarga.

Recomeçar...hoje é um bom dia para começar novos desafios.

Onde você quer chegar? ir alto...sonhe alto... queira omelhor do melhor... queira coisas boas para a vida... pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos... se pensamos pequeno...coisas pequenas teremos...já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor... o melhor vai se instalar na nossa vida.

E é hoje o dia da faxina mental...joga fora tudo que te prende ao passado... ao mundinho de coisas tristes...fotos...peças de roupa, papel de bala...ingressos de cinema, bilhetes de viagens... e toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados... jogue tudo fora... mas principalmente... esvazie seu coração... fique pronto para a vida... para um novo amor...

Lembre-se somos apaixonáveis... somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes... afinal de contas... Nós somos o "Amor"...

" Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura."

*Carlos Drummond de Andrade*

:]



Oi de novo. Só vou postar poemas por enquanto....to sem tempo pra fazer a fic...Ç.Ç

Passei o final de semana todo ouvindo três coisas...



*My Chemical Romance*



*The Used*



*30 Seconds to Mars*

Ouvi no meu mp4, viu povo. ¬¬ [ pessoal do MSN vai dizer que eu não ouvi nada disso... u.ú' ]

Beeijo da gorda. :*

- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 18h43
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




Limpeza de blog. ;D

A canção desesperada - Pablo Neruda

"Aparece tua recordação da noite em que estou.
O rio reúne-se ao mar seu lamento obstinado.

Abandonado como o impulso das auroras.
É a hora de partir, oh abandonado!

Sobre meu coração chovem frias corolas.
Oh sentina de escombros, feroz cova de náufragos!

Em ti se ajuntaram as guerras e os vôos.
De ti alcançaram as asas dos pássaros do canto.

Tudo que o bebeste, como a distância.
Como o mar, como o tempo. Tudo em ti foi naufrágio!

Era a alegre hora do assalto e o beijo.
A hora do estupor que ardia como um faro.

Ansiedade de piloto, fúria de um búzio cego
túrgida embriaguez de amor, Tudo em ti foi naufrágio!

Na infância de nevoa minha alma alada e ferida.
Descobridor perdido, Tudo em ti foi naufrágio!

Tu senti-se a dor e te agarraste ao desejo.
Caiu-te uma tristeza, Tudo em ti foi naufrágio!

Fiz retroceder a muralha de sombra.
andei mais adiante do desejo e do ato.

Oh carne, carne minha, mulher que amei e perdi,
e em ti nesta hora úmida, evoco e faço o canto.

Como um vaso guardando a infinita ternura,
e o infinito olvido te quebrou como a um vaso.

Era a negra, negra solidão das ilhas,
e ali, mulher do amor, me acolheram os seus braços.

Era a sede e a fome, e tu foste à fruta.
Era o duelo e as ruínas, e tu foste o milagre.

Ah mulher, não sei como pode me conter
na terra de tua alma, e na cruz de teus braços!

Meu desejo por ti foi o mais terrível e curto,
o mais revolto e ébrio, o mais tirante e ávido.

Cemitério de beijos,existe fogo em tuas tumbas,
e os racimos ainda ardem picotados pelos pássaros.

Oh a boca mordida, oh os beijados membros,
oh os famintos dentes, oh os corpos traçados.

Oh a cópula louca da esperança e esforço
em que nos ajuntamos e nos desesperamos.

E a ternura, leve como a água e a farinha.
E a palavra apenas começada nos lábios.

Esse foi meu destino e nele navegou o meu anseio,
y nele caiu meu anseio, Tudo em ti foi naufrágio!

Oh imundice dos escombros, que em ti tudo caía,
que a dor não exprimia, que ondas não te afogaram.

De tombo em tombo inda chamas-te e cantas-te
de pé como um marinheiro na proa de um barco.

Ainda floris-te em cantos, ainda rompes-te nas
correntes.

Oh sentina dos escombros, poço aberto e amargo.
Pálido búzio cego, desventurado desgraçado,
descobridor perdido, Tudo em ti foi naufrágio!

É a hora de partir, a dura e fria hora
que a noite sujeita a todos seus horários.

O cinturão ruidoso do mar da cidade da costa.
Surgem frias estrelas, emigram negros pássaros.

Abandonado como o impulso das auroras.
Somente a sombra tremula se retorce em minhas mãos.

Ah mais além de tudo. Ah mais além de tudo.
É a hora de partir. Oh abandonado..."



"Amor, quantos caminhos há até chegar a um beijo,
que solidão errante há em tua companhia!
Passam os trens sós rodando com a chuva.
Em Taltal não amanheceu ainda a primavera.
Porém tu e eu, amor meu, estamos juntos,
juntos desde a roupa as raízes,
juntos com outono, da água, dos quadris,
até ser só tu, só eu juntos.
Pensar que custa tantas pedras que leva ao rio,
a foz da água de Boroa,
pensar que separados por trens e nações.
tu e eu tínhamos que simplesmente amarmo-nos,
com todos confundidos, com homens e mulheres,
com a terra que implanta e educa os cravos..."


"Áspero amor, violeta coroado de espinhos,
brejal entre tantas paixões eriçadas,
lança das dores, coroa da cólera,
por quais caminhos e como te dirige a minha alma?
Por que precipitaste teu fogo doloroso,
de súbito, entre as folhas frias do meu caminho?
Quem te ensinou os passos que até mim te levaram?
Que flor, que pedra, que humo mostraram minha morada?
O certo é que tremeu a noite pavorosa,
a árvore chegou todas as copas com seu vinho
e o sol estabeleceu sua presença celeste,
entretanto que cruel amor me cercava sem trégua
até que me lançando com espadas e espinhos
abriu em meu coração um caminho de chamas..."

Poemas II e III de Vite poemas de amor e uma canção desesperada - Pablo Neruda

Sou uma "Nerudiana" de carteirinha *_*

Bom...boa leitura ae, gente. Beeijo da gorda. ;**



Fui-me.

- Postado por: *Srta. Catherine A. Blake* às 23h00
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________